Faculdade de Produção Musical: Será que vale a pena?

Estamos no começo de 2022 e a pergunta que eu sempre recebo é “Chrys, fazer faculdade de produção musical vale a pena?”, então eu resolvi escrever esse post detalhando pra vocês como funciona uma faculdade de produção musical e vou aproveitar e contar também alguns relatos pessoais sobre o assunto.

O que um produtor musical faz?

A produção musical é o processo por trás de todas as músicas que você escuta. Ela abrange todas as fases da criação de uma música, desde a composição até a versão final masterizada.

Sendo assim, um bom produtor musical tem várias funções e existe uma confusão no entendimento do que é um produtor musical e quais são suas funções.

Na minha opinião existem 3 tipos de produtores musicais:

1. Produtor de banda ou de artistas;
2. Produtor criador de beats ou de música eletrônica;
3. O Produtor Híbrido.

Pense no Produtor de bandas e artistas como um diretor de filmes, durante o processo de gravação eles tem uma função muito semelhante, por exemplo: ele cria uma visão para o projeto e orienta artisticamente os músicos.
Durante uma sessão de gravação, o produtor atua como um coordenador. Ele também traz insights criativos e faz observações sobre o desempenho dos músicos e as escolhas técnicas feitas pelo engenheiro.

Atualmente, cada vez mais artistas estão optando por se autoproduzir, independente do estilo musical. Não importa com qual dessas descrições você mais se identifique, se você estiver usando uma DAW(Digital Audio Workstation) para criar ou gravar músicas, você é um produtor musical.

É bom lembrar que produtor musical é diferente de engenheiro de áudio, este é o responsável técnico pela gravação, escolha e posicionamento dos microfones, operação da mesa de som, etc… E sim um produtor musical também pode ser um engenheiro de áudio, e também pode ser músico! Eu comecei como músico, virei engenheiro de áudio e por último produtor musical.

Já o Produtor criador de beats ou música eletrônica cria todos os instrumentos sozinho, dentro do computador, as vezes usando um teclado chamado controlador midi, usando plugins de instrumentos virtuais e sintetizadores. Esse é o tipo de produtor musical que vem na cabeça do americano quando se fala “music producer” mas ele também entende que o music producer pode ser o produtor de artistas ou bandas. Já no Brasil, na maioria das vezes quando um produtor musical vem na cabeça, é o produtor de banda e artista.

E por fim o produtor musical híbrido, é aquele que é produtor de artistas, engenheiro de audio e produtor de beats e música eletrônica ao mesmo tempo! Normalmente esse tipo de produtor é músico, multi instrumentista, muito antenado com tecnologias e consegue criar virtualmente sons realistas sem a necessidade de músicos tocando instrumentos de verdade, tudo isso com controlador midi, mas ao mesmo tempo mistura instrumentos reais, nesse tipo de produção a mistura de sons sintetizados surreais e reais é comum, e o ouvinte não consegue distinguir exatamente o que é real ou foi tocado e o que é virtual ou sintetizado. Eu sou um produtor híbrido e os produtores híbridos normalmente são músicos versáteis e ecléticos.

Mas tem mais uma confusão que vou resolver aqui, Produtor Fonográfico é diferente de Produtor Musical!

O Produtor fonográfico é o detentor dos direitos do fonograma, ou seja quem bancou a produção. Normalmente a gravadora é o produtor fonográfico, mas o próprio compositor pode ser o produtor fonográfico se ele souber bem o que está fazendo.

Agora a pergunta é: onde você pode aprender a ser um bom produtor musical?

Vale a pena fazer uma faculdade de produção musical?

Como eu disse lá no começo, eu sempre recebo várias dúvidas sobre Faculdade de Produção Musical, se vale ou não a pena fazer, quanto custa e etc…

Bom, na minha opinião, se você é jovem, tem tempo de sobra, tem dinheiro para pagar e já é um bom músico, talvez sim!

Por que talvez? Porque existem pontos positivos e negativos, esses são os pontos que vejo vantagem:

Em uma Faculdade de Produção Musical você estará em um ambiente no qual vai fazer networking, vai estar focado em comprometido, em aprender, vai ter um direcionamento geral sobre todos os processos. Mas não espere sair empregado ou sair um produtor famoso! Não existem milhares de vagas disponíveis no mercado, o trabalho é bem menos glamouroso do que parece e não se paga tão bem quanto se imagina. Um produtor musical NUNCA é contratado por seu curriculo ou diploma, mas sim por seu portfolio, conexões, experiência e MUITA, MUITA DEDICAÇÃO.  Então não caia no conto de texto de marketing de faculdade de produção musical dizendo que o mercado de trabalho é lindo e maravilhoso. Com as habilidades que você vai ganhar, você vai sim conseguir ter um salario digno, mas vai trabalhar bastante e provavelmente numa área como som pra cinema, som pra publicidade, técnico de som de eventos corporativos, técnico de audiovisual em empresas, ou seja muito distante da vida de produtor de estrela pop.

Mas eu vou ser sincero, no geral, para a maioria das pessoas eu acho que não vale a pena fazer faculdade de produção musical, mas vamos mais a fundo pra você entender melhor e ver se você se encaixa naquela persona bem específica que descrevi acima.

A grade da faculdade de produção musical não é muito extensa, além disso você vai investir pelo menos 36.216 reais no total (se for o curso da Anhembi Morumbi).

A parte mais legal e importante de uma faculdade música em geral é o networking, ou seja, conhecer e se conectar com pessoas do seu nicho, trocar conhecimento, e nem isso você vai poder fazer, porque na maioria dos casos, por conta da pandemia, muitas aulas estão sendo online.

Eu fiz a faculdade de produção musical na Anhembi Morumbi, por quase 2 anos e no primeiro ano 70% das matérias eram junto com a turma de música, ou seja as mesmas materias! Não achei que me acrescentou, tenho e a sensação de que a grade de aulas é realmente muito pequena e a maioria das matérias só abrange o básico.

Se você é jovem, tem disposição (e em alguns casos, dinheiro para investir) faça faculdade de música, por ser uma graduação, possui uma grade de aulas bem mais extensa do que a grade de aulas do tecnólogo de produção musical e você além de ter aulas do seu instrumento, vai ter aulas importantes de teoria, harmonia, análise, improvisação, história da música e também aulas de produção musical (que normalmente é uma aula voltada para o aprendizado básico de produção musical)

Agora, se você quer um curso completo de produção musical, o Masterclass 2.0 é o curso ideal pra você, além de ser 100% online, não importa o seu nível de conhecimento, o curso foi feito para se adequar às suas necessidades e te garanto que se você quiser se aprofundar e fazer todas as tarefas e exercícios sugeridos pode ser tão intenso quanto uma faculdade.

O Curso Masterclass de Produção Musical 2.0 tem quase 80 horas de vídeo editado em mais de 400 vídeos. Na média, alunos dedicados terminam em 6 meses, mas você pode fazer seu próprio curso, no seu tempo e focar nas matérias e estilos que mais te interessam. Já na faculdade o mais frustrante é que você tem sempre matérias obrigatórias que não te interessam, o que na minha opinião é uma grande perda de tempo.

O Masterclas de Produção Musical  está com um novo método: o método MTV, onde você vai aprender desde a base de teoria musical, análise, arranjo,composição e songwriting até a parte específica de equipamentos para gravação, DAWs (programas de gravação de áudio), plugins. Além disso, eu fiz questão de focar o curso em prática, um bom músico e produtor musical precisa praticar e claro, quanto mais música você produzir e publicar, mais chances você vai ter de ser notado e vai ficar cada vez melhor na produção.

Ah, e a melhor parte? Você tem acesso ao curso por 2 anos, o mesmo tempo que você faria um tecnólogo de produção musical, por um valor muito menor e você tem a oportunidade de terminar bem antes, encaixar as aulas nos seus horários e assistir quando quiser!

Quer saber mais sobre o Masterclass 2.0?

Clique aqui!

Até o próximo post,
Chrys Gringo.

Deixe seu comentário